SABORES DE PORTUGAL 0

Vinhos por tipo - VINHO TINTO 750ML

PAULO LAUREANO LAURA REGUEIRO 2008 TN 750ML  -

PAULO LAUREANO LAURA REGUEIRO 2008 TN 750ML

69
PLLR

R$ 623,00

R$ 444,00

Produto Indisponível
1.25
8
33
8
1.25

Ficha Técnica

Região: Alentejo
Categoria: Vinhos Finos de Mesa
Produtor: Paulo Laureano Vinus
Produtor: Paulo Laureano Vinus

Enólogo: Eng. Paulo Laureano

Teor Alcoólico: 14%

Casta: Touriga Franca, Tinta Amarela, Touriga Nacional, Alicante Bouschet e Tinta Grossa

Cor: Granada intensa

Aroma: Notas florais mescladas com frutos negros em compota, menta e especiaria. Num conjunto que prima pelo exotismo e complexidade.

Prova: Macio, com acidez marcante e equilibrada, aromas de fruta em compota e especiaria. Fim de boca longo e persistente, com uma concentração de taninos marcante, mas simultaneamente fresca e elegante.
Observações: Decantação obrigatória por 40 minutos. Fermentação em barricas novas de carvalho Francês pelo período de 12 meses. Produção de 2000 garrafas, das quais vieram apenas 150 para o Brasil. Duas das mais emblemáticas regiões vitivinícolas portuguesas, com características distintas, juntam-se num desafio inédito da criação de prazeres. Laura Regueiro e Paulo Laureano, querem ver o Douro e o Alentejo refletidos nos seus vinhos, acreditam na identidade e personalidade que transportam. Neste vinho, o Alentejo e o Douro se confundem de forma harmoniosa, sem deixarem de se mostrar, numa linha tradicional de elegância, que distingue desde sempre os vinhos de Portugal. António Barreto, conhecido sociólogo e cronista português, prefaciou este vinho e traduziu de forma primorosa tudo o que ele representa: “Juntaram-se os dois à esquina. Mas não foi para tocar a concertina. Nem para dançar o Sol e Dó. Foi para fazer um vinho inédito. Ela vinha da Quinta, a Norte, para lá da floresta. Ele vinha das planícies do Sul, muito abaixo da lezíria. O encontro era improvável. Não estava previsto pela Natureza. Não se encontrava consagrado nas leis. Como sempre, o encontro foi fruto do acaso. Mas desejado. É o coração quem mais ordena. Nascemos num sítio e dentro de uma família, sem que tal seja a nossa opção. Mas escolhemos os nossos amigos.Seleccionamos os nossos parceiros. Procuramos os nossos amores. Elegemos quem queremos. Estas afinidades são o resultado das vontades. Com a ajuda da circunstância. O encontro deu frutos. Ou antes, deu vinho. Vinho de Quinta. Vinho de Monte. Finalmente, vinho de encontro. A demonstrar que o vinho não é nunca, apenas, o que Deus dá ou o que a Natureza oferece. Vinho é obra de gente. Feito com engenho. Com saber e paciência. Com amore cuidado. Um vinho que é homenagem à liberdade de fazer o que não está escrito. Um elogio à criatividade que leva os homens e as mulheres a inventar. Um louvor à visão que empurra as pessoas a fugir ao seu destino. E assim, a Laura e o Laureano realizaram uma das mais inacessíveis ambições: a de acrescentar qualquer coisa ao que se conhece e ao que se faz. Há quem se contente com o que tem, nome, família ou terra. Há quem se limite ao património herdado. Há quem apenas faça o que sempre os seus antepassados fizeram. Mas também há, para nossa felicidade, quem queira ir mais além. Além Douro. E Além Tejo.”